A sala de cinema mais charmosa do mundo fica no Japão

Atualizado: 22 de jan.

Na ilha de Sado, só existe um lugar para se ver "películas" como antigamente


"Cinema em casa" é a melhor definição para a experiência no Gashima Cinema (foto: Roberto Maxwell)

Assistir filmes na tela grande deixou de ser preferência para muita gente. Com a expansão dos serviços de streaming e o barateamento das TVs de plasma, ter uma boa qualidade de som e imagem em casa já não é um luxo reservado apenas aos mais ricos.

Em todo o planeta, as novas tecnologias causaram um baque no mercado exibidor de filmes, levando ao fechamento em massa de salas de cinema. Na ilha de Sado, localizada no Mar do Japão, não foi diferente. No passado, a ilha tinha várias salas de cinema, mas já nos anos 1980 nenhuma delas estava em funcionamento, deixando a população sem a opção de ver filmes fora de casa regularmente além de eventos esporádicos.


Em 2017, um casal de cinéfilos resolveu mudar esse quadro, com muito estilo. Após o nascimento do segundo filho, Yayoi e Akihiro Hotta decidiram morar na ilha de Sado, buscando um modo mais tranquilo de viver e criar as crianças. Na ilha, eles conheceram um café que ficava numa casa com quase 90 anos de história. O espaço estava prestes a ser fechado e, a convite do antigo dono e depois de pensar muito, o casal decidiu dar continuidade ao negócio.


Yayoi e Akihiro levaram de volta a Sado à magia de ver filmes em tela grande (foto: Roberto Maxwell)

Quando morava em Tóquio, Yayoi trabalhou com distribuição e divulgação de filmes numa das salas de cinema mais cult da metrópole, o PolePole Higashi-nakano. Apaixonada pela casa e contando com esta experiência em Tóquio, Yayoi achou que, além do café, o espaço poderia abrigar um novo projeto. Nascia assim o Gashima Cinema, a única sala de exibição de filmes em Sado.

A construção dos anos 1930 era a antiga residência do diretor de uma mina de ouro que fez a fama e a riqueza da ilha por muitos séculos. Feita de madeira e com piso de palha no estilo tatâmi, é uma pequena joia na rua principal da vila de Aikawa. Com o fim da mineração, Aikawa foi perdendo importância, embora hoje seja um dos principais pontos turísticos de Sado.


Vista da rua onde fica o cinema, no bairro de Aikawa (foto: Roberto Maxwell)

PREPARANDO A SALA

Para a reforma da casa, o trabalho de Akihiro foi fundamental. Tirando trabalhos mais especializados, feitos por um carpinteiro, a reforma inicial que durou quase um ano, ficou basicamente nas mãos dele.


A maior parte da reforma da casa ficou sob os cuidados de Akihiro (foto: Roberto Maxwell)

O salão maior, voltado para um pequeno jardim, se transformou na sala de exibição em si, com capacidade para 20 espectadores e um projetor digital. A cozinha e um dos cômodos são ocupados pelo café que conta com uma pequena biblioteca com obras sobre cinema japonês e mundial. Outro ponto especial do Gashima Cinema são dois antigos projetores, relíquias compradas pelo casal do espólio das salas de cinema que existiram em Sado.


Um dos antigos projetores que decoram o espaço do Gashima Cinema (foto: Roberto Maxwell)

O Gashima Cinema exibe filmes que entram em cartaz de forma comercial no Japão. Embora a projeção digital tenha facilitado a abertura de canais de exibição, o casal conta que nem sempre é fácil adquirir os direitos de exibição de filmes de sucesso.


Para assistir às películas, os espectadores tiram os sapatos na entrada e compram o tíquete na pequena bilheteria. Os assentos não são numerados, mas todos garantem uma visão razoável da tela. Ao invés de comerciais na sala escura, a audiência espera o filme começar admirando o pequeno jardim pela porta de correr. Quando dá a hora, as cortinas são fechadas e o público pode embarcar na história contada na tela.


No café, Yayoi (no centro) recebe a visita da produtora de saquê Rumiko Obata (de camisa branca) e da guia turística Etsuko Nakamura (foto: Roberto Maxwell)

A sala é tão querida pelos locais que reformas recentes, como a do telhado, foram feitas com a ajuda de clientes e de empresas da região. Além disso, o Gashima também virou cenário do mangá “Kimi Dake no Cinema” (“um cinema só para você”, em tradução livre), da autora Yukiko Takada, nascida em Aikawa.


Hoje, Yayoi se dedica exclusivamente ao espaço, enquanto Akihiro trabalha nos dias de semana em atividades sazonais, como a produção de saquê. Nos sábados e domingos, quando o movimento é maior, ele ajuda no café e na bilheteria. E assim, o casal mantém viva a sala de cinema mais charmosa do mundo.


4:14 | Passeie com a gente pelo Gashima Cinema Cafe (vídeo: Roberto Maxwell)

SERVIÇO

Cafe Gashima Cinema (カフェガシマシネマ)

sala de cinema e café

Niigata-ken Sado-shi Kamikyomachi Aikawa 11 [mapa]

horário de funcionamento: irregular, mas costuma fechar às segundas e terças

gashimacinema.info

$


110 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo