São Paulo recebe evento gratuito sobre o shochu e o awamori

A THE SHOCHU ACADEMY 2022 quer expandir o conhecimento

sobre as bebidas na capital gastronômica do país



No próximo mês de março, São Paulo vai receber um evento para apresentar aos bartenders e mixologistas o shochu e o awamori, duas das três bebidas consideradas tradicionais pelos japoneses. Com inscrições abertas a partir de hoje, a The Shochu Academy 2022 será realizada nos dias 8 e 9 de março. A participação é gratuita e a promoção do evento é da Associação dos Produtores de Saquê e Shochu do Japão, JSS na sigla em inglês.


Diferente do irmão mais famoso — o fermentado saquê —, o shochu e o awamori são destilados. Pouco conhecidas pelo público leigo fora do Japão, as duas bebidas são onipresentes nos izakaya, os botecos japoneses. Além disso, têm sido cada vez mais utilizadas como ingredientes em coquetéis nos bares mais descolados de cidades globais como Nova Iorque, Hong Kong, Londres, Paris e, sim, São Paulo.


“O shochu não é completamente estranho aos paulistanos. Cartas de bares da cidade já trazem o shochu como ingrediente e isso mostra que São Paulo está antenada nas tendências internacionais”, explica Roberto Maxwell, editor-chefe da Tokyo Aijo e organizador do evento.


Com histórias que se complementam, o shochu e o awamori são produzidos, predominantemente, no sul do Japão. “O shochu surgiu inspirado no awamori”, conta Maxwell. Originário da província de Okinawa, um arquipélago que formava um país independente até o século 19, o awamori é feito com o arroz oryzae, uma cepa de grãos mais longos. Já o shochu tem boa parte de sua produção concentrada na ilha de Kyushu, a mais meridional das quatro maiores que formam o arquipélago japonês. Ele pode ser feito com o arroz da variedade japonica, mas outros ingredientes principais também podem ser usados: batata doce, cevada, trigo sarraceno e açúcar mascavo são comuns. O shochu tem, em média, 25% de teor alcoólico. Já no awamori fica entre 30 e 43%.


Espaço de criação

Para a academia, Maxwell promete dois dias de experimentação e trocas entre os participantes e com os palestrantes. Christopher Pellegrini, considerado um dos mais importantes especialistas do mundo na área, é um dos instrutores confirmados. Pellegrini participará por vídeo. Já a sommelier de saquê Yasmin Yonashiro vai lecionar presencialmente no evento. De Tóquio, Rogério Igarashi Vaz, do Bar Trench (#43 no Asian’s 50 Best 2021), vai produzir um coquetel especial com shochu e dividir com os participantes os segredos e desafios do trabalho com o ingrediente, em material gravado especialmente para a academia. Outros nomes ainda serão confirmados.


"Nossa ideia é que as aulas sejam um estímulo para a criação. Por isso, teremos degustação e um momento laboratório. Queremos que os participantes agucem os sentidos e experimentem com o shochu e o awamori", conta o organizador que também fará uma palestra no evento.


A participação na The Shochu Academy 2022 é gratuita, mas será limitada a 15 pessoas. As inscrições podem ser feitas online e estão abertas até o dia 11 de fevereiro. Profissionais e estudantes da área de bares, restaurantes e mixologia, bem como jornalistas e produtores de conteúdo especializados no tema são convidados a participar da seleção.


“Acredito que vai ser uma oportunidade única para os participantes e queremos um grupo diverso e interessado”, conta o organizador. A Tokyo Aijo, juntamente com a Tabiji, participa da organização do evento.


SERVIÇO

THE SHOCHU ACADEMY 2022

evento formativo em São Paulo, SP

8 e 9 de março, das 10 às 18 horas

inscrições abertas até 11 de fevereiro pelo site

www.tokyoaijo.com/the-shochu-academy-2022


64 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo